Coração que sangra

Coração que Sangra

Ó órgão assustador quando começa a acelerarbleeding-heart-psd-454403
Devido a raiva, ao ódio, a desavença, o medo
Acelera a ponto da sombra de morte entrever
E alma do corpo afastar-se e rememorar-se

Tais vis sentimentos sangram não o órgão
Mas toda minha alma…. Todo meu ser
Não sei lidar com tais sentimentos, não
Quero lidar com estas terríveis sensações

Na mais profunda memória encontro abrigo
Na imagem de um mosteiro muito antigo
Onde consagro-me a ler, copiar textos,
Rezar, cuidar de plantas e alimentos.

Tal ambiente onde só há razão, onde não
Se dá condições do desvelar de emoções
Será que se ai voltar, eu paro de sangrar?

Não entendo mesmo esse mundo,
Cada vez mais não entendo como o dinheiro,
Pode nublar os mais nobres sentimentos,
Como alguém tem ilusão que pode viver para
Seu ego, se até para nascer precisamos de outros
Como pode haver tanto ódio, tanto rancor, tanto
Interesse e tão pouco amor…

Nunca entendi completamente a sexualidade
Porque somos seres sexuais, o que é isso afinal?
Por que estes instintos? Por que esses desejos?
Compreendo pela razão e pela observação…
Mas não apreendo isso por emoção e intuição…
Um castrado, um eunuco, sempre vivi assim
Sempre me vi assim, sempre me senti assim
Sempre vivi como se isso fosse uma lenda
Por que isso mudou? Não entendo isso…
Em verdade, tenho medo disso, demais…

O estranho que deveria me sentir mais sábio
Com o acúmulo de experiências e vida…
Mas tudo é cada vez mais incerto…
O Amor, isso eu conheço, isso eu sinto, isso
É concreto, mas não entendo o resto…
Entendo o Amor como Amizade, philia
Entendo e sei Amar sem nada esperar
Nunca esperei nada de ninguém, Amar
É fazer o que se deve e pronto… Não
Consigo entender querer ser amado
Eros… Paixão… Sinto-a pela arte, pelo
Conhecimento, mas não por que querer
Alguém ao seu lado sempre?

Más ó dúvida cruel, ó poço de incerteza…
Cada vez mais é difícil entender o ódio,
A cobiça, o rancor, a maledicência, a perfídia…
Deveria ficar mais sábio, mas é cada vez mais
Difícil conviver com isso, ver isso nas ruas,
Nos olhares, ver o Amor sendo esquecido

E pior, é ver que estes sentimentos me habitam
Encontro-os dentro de mim, sangrando meu coração
Sim, sou um ser sexuado, não sou somente razão
Sim, sinto Eros mas não compreendo quando almejas
Alguém específico… Por quê? Por que passar a vida
Ao lado de alguém? O que é isso ao final de contas?
Por que o toque é tentador? Por que o abraço é tão
Sagrado e belo? Eu não entendo… Eu não entendo…

Porque não ser simplesmente alguém que se contenta
Em ajudar e encaminhar os outros, porque querer perto
De si…
Amar não deveria ser ver a pessoa livre e plena?

Porque estou querendo sair do monastério que sempre
Habitei dialogando com meu duplo?
Por que o corpo não obedece a razão e a vontade?
Não entendo… Não entendo mesmo o que é isso…
Sei conviver comigo mesmo, não tenho problema
Algum de fazer tudo sozinho e resolver tudo assim
Por que essa vontade que compartilhar a vida com alguém?
Por que de repente o que era seguro não é mais?

Queria voltar ao Mosteiro….

Escrita em: 14/07/2015

© 2015 Tiago De Lima Castro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s