Fuga da Paixão (29/05/2015)

Fuga da Paixão

Oh tão indefinível estado
Corpo e emoção em êxtase
Em tórridos clamores
Da insigne completude

O corpo clama a ti
Sua pele e seu toque
Tua infindável presença
Tua boca e teu abraço

Mas fujo de ti, e de mim
O toque me apavora
A pele me traz medos
O abraço me dá vertigens

Fraquejo diante de ti
Na covardia medonha
De um sórdido egoísta
Que teme sair de si

Para todos isso é simples
A mim, além de proteção
É uma vil autocastração
Impingida a mim por mim

Mas não mereces isso
Um fraco, medonho
e egoísta que teme
ser de fato homem

Escrita em: 29/05/2015

© 2015 Tiago de Lima Castro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s